Corrente usa desinformação para atacar senadora Eliziane Gama, relatora da CPMI

Compartilhe

É falso que a senadora Eliziane Gama (PSD-MA), relatora da CPMI do 8 de Janeiro no Congresso, emprega 140 funcionários em seu gabinete com remunerações acima de R$ 30 mil, como alega uma corrente que circula nas redes. Há atualmente 19 servidores lotados no gabinete da parlamentar — destes, apenas um recebe acima de R$ 30 mil. As peças de desinformação alegam ainda que Gama já gastou R$ 26 mil em anúncios no Facebook, o que também não é verdade: a biblioteca de anúncios da Meta mostra que a senadora publicou três peças desde 2019, quando se elegeu para o Legislativo federal, com gasto estimado de menos de R$ 300.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulam 50 mil visualizações no Tik Tok nesta quarta-feira (21) e circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

E os 140 funcionários do gabinete dela, Eliziane [Gama], com salários de R$ 30 mil? (...) [Já gastou] R$ 26 mil com Facebook.

Imagem combina foto de Eliziane Gama com texto que diz, de maneira falsa, que ela mantém 140 funcionários em seu gabinete e que gastou R$ 26 mil em impulsionamento de conteúdo no Facebook

Uma corrente que circula nas redes usa uma série de alegações falsas para atacar a senadora Eliziane Gama:

  • Os posts mentem, por exemplo, ao afirmar que a senadora possui 140 servidores em seu gabinete com salários acima de R$ 30 mil. De acordo com o Portal da Transparência do Senado, o gabinete de Gama é composto por 19 servidores, e somente um recebe acima de R$ 30 mil;
  • A parlamentar também possui um escritório de apoio que conta com 36 funcionários comissionados. A maior remuneração básica em maio de 2023 — último período disponível — foi de R$ 18.240,29;
  • Ainda de acordo com as peças de desinformação, a parlamentar teria gasto R$ 26 mil para impulsionar conteúdos no Facebook. Dados da biblioteca de anúncios da Meta, no entanto, apontam que, desde 2019, a senadora despendeu menos de R$ 300 em apenas três anúncios.

A corrente, no entanto, acerta ao afirmar que Gama já gastou cerca de R$ 200 mil em cota parlamentar neste ano. Entre 1° de janeiro e esta quarta-feira (21), a senadora despendeu R$ 210.288,02, de acordo com dados do Senado. O valor é superior à média geral de gastos dos senadores neste ano, que foi de R$ 138.470,56.

As peças desinformativas citam ainda uma denúncia feita contra Inácio Cavalcante Melo Neto, marido de Gama e atual presidente estadual do PSDB no Maranhão, durante as eleições de 2018. Ele foi acusado de falsidade ideológica e de possuir três empresas fantasmas por um suposto dossiê que circulou durante a campanha.

Na época, Gama era candidata ao Senado e entrou com representação na Justiça Eleitoral do Maranhão, que determinou que a acusação, divulgada por um veículo maranhense, fosse retirada do ar. O conteúdo, no entanto, segue disponível. A então candidata também prestou queixa-crime na Polícia Federal e alegou que estava sendo vítima de uma “onda de perseguição”.

O Aos Fatos tentou contato com Eliziane Gama e Inácio Melo, mas ambos não retornaram.

Referências

  1. Senado Federal (1, 2, 3 e 4)
  2. Facebook
  3. Blog Genivaldo Abreu

Compartilhe

Leia também

falsoVídeo de Kamala Harris dizendo que ‘hoje é hoje’ foi alterado por IA

Vídeo de Kamala Harris dizendo que ‘hoje é hoje’ foi alterado por IA

falsoJanja não tem relação com escolha do uniforme do Brasil para a Olimpíada

Janja não tem relação com escolha do uniforme do Brasil para a Olimpíada

Maduro mente ao alegar que votação brasileira não é auditada e ignora denúncias sobre eleições venezuelanas

Maduro mente ao alegar que votação brasileira não é auditada e ignora denúncias sobre eleições venezuelanas