Corrente usa desinformação para atacar senadora Eliziane Gama, relatora da CPMI

Compartilhe

É falso que a senadora Eliziane Gama (PSD-MA), relatora da CPMI do 8 de Janeiro no Congresso, emprega 140 funcionários em seu gabinete com remunerações acima de R$ 30 mil, como alega uma corrente que circula nas redes. Há atualmente 19 servidores lotados no gabinete da parlamentar — destes, apenas um recebe acima de R$ 30 mil. As peças de desinformação alegam ainda que Gama já gastou R$ 26 mil em anúncios no Facebook, o que também não é verdade: a biblioteca de anúncios da Meta mostra que a senadora publicou três peças desde 2019, quando se elegeu para o Legislativo federal, com gasto estimado de menos de R$ 300.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulam 50 mil visualizações no Tik Tok nesta quarta-feira (21) e circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

E os 140 funcionários do gabinete dela, Eliziane [Gama], com salários de R$ 30 mil? (...) [Já gastou] R$ 26 mil com Facebook.

Imagem combina foto de Eliziane Gama com texto que diz, de maneira falsa, que ela mantém 140 funcionários em seu gabinete e que gastou R$ 26 mil em impulsionamento de conteúdo no Facebook

Uma corrente que circula nas redes usa uma série de alegações falsas para atacar a senadora Eliziane Gama:

  • Os posts mentem, por exemplo, ao afirmar que a senadora possui 140 servidores em seu gabinete com salários acima de R$ 30 mil. De acordo com o Portal da Transparência do Senado, o gabinete de Gama é composto por 19 servidores, e somente um recebe acima de R$ 30 mil;
  • A parlamentar também possui um escritório de apoio que conta com 36 funcionários comissionados. A maior remuneração básica em maio de 2023 — último período disponível — foi de R$ 18.240,29;
  • Ainda de acordo com as peças de desinformação, a parlamentar teria gasto R$ 26 mil para impulsionar conteúdos no Facebook. Dados da biblioteca de anúncios da Meta, no entanto, apontam que, desde 2019, a senadora despendeu menos de R$ 300 em apenas três anúncios.

A corrente, no entanto, acerta ao afirmar que Gama já gastou cerca de R$ 200 mil em cota parlamentar neste ano. Entre 1° de janeiro e esta quarta-feira (21), a senadora despendeu R$ 210.288,02, de acordo com dados do Senado. O valor é superior à média geral de gastos dos senadores neste ano, que foi de R$ 138.470,56.

As peças desinformativas citam ainda uma denúncia feita contra Inácio Cavalcante Melo Neto, marido de Gama e atual presidente estadual do PSDB no Maranhão, durante as eleições de 2018. Ele foi acusado de falsidade ideológica e de possuir três empresas fantasmas por um suposto dossiê que circulou durante a campanha.

Na época, Gama era candidata ao Senado e entrou com representação na Justiça Eleitoral do Maranhão, que determinou que a acusação, divulgada por um veículo maranhense, fosse retirada do ar. O conteúdo, no entanto, segue disponível. A então candidata também prestou queixa-crime na Polícia Federal e alegou que estava sendo vítima de uma “onda de perseguição”.

O Aos Fatos tentou contato com Eliziane Gama e Inácio Melo, mas ambos não retornaram.

Referências

  1. Senado Federal (1, 2, 3 e 4)
  2. Facebook
  3. Blog Genivaldo Abreu

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores