🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Corrente de WhatsApp atribuída a Moro é, na verdade, texto de propaganda da Coca-Cola

Por Alexandre Aragão

9 de novembro de 2018, 11h30

Um texto falsamente atribuído ao futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, circula há mais de um ano e voltou à tona em correntes de WhatsApp nos últimos dias. Na verdade, trata-se de uma cópia de uma propaganda da Coca-Cola.

Segundo a corrente, o texto teria sido escrito por Moro “há mais de 17 anos em seu blog pessoal”, mas a informação é falsa. Ele não escreveu que, por exemplo, “Para cada corrupto, existem 8 mil doadores de sangue” nem que “Na internet, a palavra AMOR tem mais resultados que a palavra medo”, conforme afirma a corrente. Além de Moro já ter negado publicamente a autoria do texto, a maior parte foi copiada de uma propaganda da Coca-Cola veiculada em 2011.

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Texto escrito por Moro há mais de 17 anos em seu blog pessoal.

O texto atribuído pela corrente ao futuro ministro da Justiça mistura trechos da propaganda da Coca-Cola com informações inventadas que não aparecem na publicidade, mas são apresentadas no mesmo formato.

A primeira frase, por exemplo, foi copiada do texto da propaganda: “Para cada pessoa dizendo que tudo vai piorar, existem 100 casais planejando ter filhos”. A versão brasileira da peça, disponível no YouTube, começa com um texto quase idêntico: “Para cada pessoa dizendo que tudo vai piorar, 100 casais planejam ter filhos.” A frase seguinte da corrente é copiada tal como está escrita na peça publicitária: “Para cada corrupto, existem 8.000 doadores de sangue”.

Há trechos da corrente, porém, que não fazem parte da propaganda e foram completamente inventados, como uma das últimas frases: “Enquanto um cientista desenha uma nova arma, há 1 milhão de mães fazendo bolo de chocolate”.

A corrente circula no WhatsApp há mais de um ano, como mostra este texto da Exame, publicado em maio de 2017. Na época em que a corrente começou a circular, o então juiz federal enviou uma nota ao jornal O Globo em que negou a autoria do texto.

Lançada em 2011, a propaganda fez parte de uma campanha mundial da Coca-Cola chamada “reasons to believe” (em português, “razões para acreditar”), que reúne estatísticas verdadeiras sobre o mundo. O falso texto atribuído a Moro usa a mesma frase ao dizer que “existem razões pra acreditar”.

Leia a íntegra da propaganda da Coca-Cola:

“Baseado em um estudo sobre o mundo atual. Para cada pessoa dizendo que tudo vai piorar, 100 casais planejam ter filhos. Para cada corrupto, existem 8.000 doadores de sangue. Enquanto alguns destroem o meio ambiente, 98% das latinhas de alumínio já são recicladas no Brasil. Para cada tanque fabricado no mundo, são feitos 131 mil bichos de pelúcia. Na internet, AMOR tem mais resultados que MEDO. Para cada arma que se vende no mundo, 20 mil pessoas compartilham uma Coca-Cola. Existem razões para acreditar. Os bons são maioria”.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.