Comparação entre Minas e Ceará engana ao omitir nível de testagem de Covid-19 nos estados

Por Priscila Pacheco

15 de maio de 2020, 19h55


Publicações nas redes sociais (veja aqui) enganam ao comparar números oficiais de vítimas de Covid-19 em Minas Gerais e no Ceará sem levar em conta que o nível de testagem no estado nordestino é bem maior: 51,5% por 100 mil habitantes contra 10,2% em Minas. Se há mais diagnósticos realizados, a contabilidade oficial de casos e mortes pelo novo coronavírus tende a ser maior que em regiões com menos testes. Na quinta-feira (14), o Ceará somava 1.413 óbitos e Minas Gerais 139.

A lista comparativa falseia ainda ao afirmar genericamente que o comércio em Minas está aberto ou flexibilizado. Ainda que o governo estadual tenha relaxado regras de isolamento social, prefeitos mineiros mantiveram restrições à circulação, inclusive na capital Belo Horizonte. No Ceará, estabelecimentos de atividades não essenciais seguem fechados desde 20 de março.

Até a manhã desta sexta-feira (15), o conteúdo enganoso somava cerca de 5.500 compartilhamentos no Facebook. Todas as publicações foram marcadas com o selo DISTORCIDO na ferramenta de monitoramento da rede social (saiba como funciona).


DISTORCIDO

Com lockdown e sem lockdown… tirem suas conclusões.

É distorcida a comparação entre o número de casos e óbitos por Covid-19 em Minas Gerais e no Ceará que circula em postagens nas redes sociais. Por mais que seja verdade que o estado nordestino contabiliza oficialmente mais infecções e mortes pela doença hoje que Minas, sua taxa de testagem da população é bem maior: 51,5% por 100 mil habitantes, contra 10,2%, segundo análise do Comitê Permanente de Enfrentamento do novo coronavírus da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com dados de 4 de maio. Quando há mais diagnósticos, a tendência é que sejam registrados mais casos e óbitos por Covid-19.

Se analisada a taxa de mortalidade isoladamente, o Ceará (15,5 por 100 mil habitantes) de fato já registrou mais óbitos pelo novo coronavírus do que Minas Gerais (0,7 por 100 mil habitantes), considerando os dados divulgados pelo Ministério da Saúde na quarta-feira (14). Porém, como os níveis de testagem são distintos, qualquer comparação que considere apenas a mortalidade pode gerar interpretação distorcida.

Além disso, os números anotados na lista não condizem hoje com os dados mais recentes. Nesta quinta-feira (14), o Ceará acumulava 1.413 mortos por Covid-19 e Minas, 139. Os dados estavam próximos dos das bases oficiais quando a peça de desinformação começou a circular no início desta semana.

Ao comparar esses dados, as postagens buscam questionar a eficácia do isolamento social, adotado hoje com maior rigidez no Ceará. Porém, outros fatores equiparados também são imprecisos, como a situação do comércio nos dois estados. Em Minas, ainda que o governo tenha anunciado o relaxamento de medidas decretadas em março, várias prefeituras mantêm as restrições, como a da capital Belo Horizonte. Ou seja, não é possível afirmar, como constam nas publicações analisadas, que todo o comércio do estado está aberto.

No Ceará, o isolamento imposto pelo governo estadual também começou no dia 20 de março e passou por uma série de prorrogações. No momento, a medida está prevista para durar até 20 de maio.

Referências:

1. Folha de S. Paulo
2. G1
3. O Estado de Minas (Fontes 1 e 2)
4. O Povo
5. UFMG
6. Governo de Minas Gerais
7. Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais
8. Ministério da Saúde


Aos Fatos mudou o selo desta checagem de FALSO para DISTORCIDO porque, embora a interpretação dos dados seja enganosa, os números exibidos nos posts verificados estão próximos dos registrados na época que o conteúdo começou a circular. A classificação foi alterada às 14h06 do dia 26 de maio de 2020.