CNN não exibiu banner que acusa Elon Musk de ameaçar liberdade de expressão no Twitter

Por Marco Faustino

13 de abril de 2022, 12h23

A CNN não exibiu a legenda, em inglês, “Elon Musk pode ameaçar a liberdade de expressão no Twitter ao permitir às pessoas falar livremente”, como afirmam postagens (veja aqui). A imagem compartilhada como real é uma montagem criada pelo site satírico Genesius Times. A emissora disse que não veiculou a frase e Aos Fatos não encontrou notícias que atestem a veracidade da alegação.

Postagens com o conteúdo enganoso acumulavam ao menos 4.000 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (13).


Selo falso

Elon Musk pode colocar em risco a liberdade de expressão no Twitter deixando as pessoas falarem livremente. Da série “Jornalismo Profiçionau”

Posts difundem montagem para alegar que CNN disse que Elon Musk pode colocar em risco a liberdade de expressão no Twitter

A frase “Elon Musk pode ameaçar a liberdade de expressão no Twitter ao permitir às pessoas falar livremente” não foi veiculada pelo canal de notícias americano CNN, diferentemente do que mostra imagem que circula nas redes sociais. Trata-se de uma montagem, publicada pelo site de humor Genesius Times em 5 de abril deste ano. A legenda falsa foi aplicada sobre uma imagem do programa Don Lemon Tonight, segundo constatou Aos Fatos por meio de busca reversa.

O Genesius Times afirma, no final da sua página principal, que se “esforça para fornecer as notícias falsas mais atualizadas e precisas da internet”, e que o único desejo de sua equipe é fazer os leitores “rirem ou chorarem”.

Não há notícias publicadas pela CNN que apresentem as palavras mostradas na peça checada, nem qualquer debate sobre a participação acionária de Musk no Twitter em episódios recentes do programa apresentado pelo âncora Don Lemon. A CNN afirmou às agências Reuters e Associated Press que a frase nunca foi exibida pela emissora.

No dia 4 de abril, Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, tornou-se o maior acionista individual do Twitter ao comprar 9,2% da empresa. A participação acionária do bilionário foi alvo de especulações em razão da intenção do empresário de construir uma nova plataforma de mídia social, uma vez que ele havia questionado a falta de liberdade de expressão no Twitter. No dia 10, o presidente-executivo do Twitter, Parag Agrawal, anunciou que Musk não fará parte da diretoria da empresa.

Esta peça de desinformação também circulou nos EUA, onde foi checada por Reuters, Associated Press e Check Your Fact.

Referências:

1. Genesius Times
2. CNN (Fontes 1, 2 e 3)
3. G1 (Fontes 1 e 2)
4. Reuters
5. Associated Press
6. Gaúcha ZH
7. UOL (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.