Reprodução YouTube

Em entrevista ao podcast Podpah, Lula erra ao citar dados sobre fome e legado do PT na economia

Por Amanda Ribeiro, Luiz Fernando Menezes e Marco Faustino

3 de dezembro de 2021, 18h21

Em entrevista ao podcast Podpah na quinta-feira (3), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) errou ao afirmar que os governos do seu partido acabaram com a fome no Brasil em 2012. Pesquisa divulgada na época pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontou que ao menos 7,2 milhões de pessoas (3,6% da população) estavam em situação de insegurança alimentar grave, categoria em que a fome se enquadra.

O petista também citou informação falsa ao dizer que, em seu governo, o Brasil nunca deixou de ser convidado para reuniões do G8, grupo das oito maiores economias do mundo. O país não foi chamado para cúpulas em 2004 e 2010. Tampouco procede, como afirmou o ex-presidente, que as gestões do PT não reajustaram os preços da gasolina.

Veja abaixo, em resumo, o que checamos:

  1. É FALSO que o Brasil acabou com a fome em 2012. Em nenhum momento da série histórica da pesquisa do IBGE sobre insegurança alimentar, iniciada em 2004, o país deixou de registrar milhões de pessoas na categoria “grave”, equivalente à fome;
  2. Também é FALSO que, quando presidente, Lula foi convidado para todas as reuniões do G8, grupo das oito maiores economias do mundo. Ele não esteve presente nas reuniões do grupo em 2004 e 2010;
  3. É FALSO que Dilma deixou o governo em 2014 e que, quando isso aconteceu, o índice de desemprego era de 4,7%. A petista sofreu impeachment em agosto de 2016, quando a taxa de desocupação medida pelo IBGE estava em 11,9%;
  4. A gasolina aumentou sim no governo Lula, diferentemente do que alegou o ex-presidente. Há pelo menos dois registros de reajustes anunciados pela Petrobras, em 2005 e 2008;
  5. Lula não é o único presidente da história sem diploma universitário. Café Filho, que comandou o Brasil após o suicídio de Getúlio Vargas, entre 1954 e 1955, não concluiu o curso superior;
  6. É FALSO que o Brasil se tornou a sexta economia do mundo quando Lula estava no governo. O posto foi alcançado durante a gestão de Dilma, em 2011;
  7. É IMPRECISA a declaração de que as mulheres passaram a ter direito ao voto após uma decisão judicial em 1934. A sentença citada aconteceu em 1927 e o sufrágio universal foi adquirido a partir do Código Eleitoral de 1932, confirmado pela Constituição de 1934;
  8. É VERDADEIRA a informação sobre os índices de desemprego e inflação, ambos em 12%, quando Lula assumiu a Presidência, em 2003.


Selo falso

Por que aqui no Brasil tem 19 milhões de pessoas passando fome, quando nós acabamos com a fome em 2012?

O Brasil não acabou com a fome em 2012 nem durante os governos de Lula e Dilma Rousseff, por isso, a declaração foi classificada como FALSA. Em nenhum momento da série histórica da pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre insegurança alimentar, iniciada em 2004, o país deixou de registrar milhões de pessoas na categoria “grave”, que é a que considera de fato a fome.

Em 2013, durante a primeira gestão de Dilma Rousseff, o Brasil registrou o menor índice de insegurança alimentar grave, com 7,2 milhões de pessoas nessa classificação, o equivalente a 3,6% da população da época, segundo o IBGE.

Naquele ano, 25,8% da população vivia em algum grau de insegurança alimentar, o que engloba desde quem reduziu o número de refeições e os que tiveram que optar por produtos mais baratos e menos nutritivos, até pessoas que não têm o que comer.

É fato, no entanto, que a pesquisa mais recente sobre o assunto – o Inquérito Nacional de Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil – apontou para a existência de 19 milhões de pessoas em estado de insegurança alimentar grave no país (cerca de 9% da população) em 2020. O levantamento analisou dados coletados entre 5 e 24 de dezembro do ano passado.

Questionada, a assessoria de imprensa de Lula afirmou que o Brasil deixou o Mapa da Fome da ONU em 2014, o que não significa que o país deixou de registrar pessoas com insegurança alimentar grave. Além disso, mesmo com 19 milhões de pessoas nessa situação em 2020, o país não voltou ao mapa.


Selo falso

Eu fui o único presidente do Brasil que fui convidado para participar de todas as reuniões do G8

A declaração é FALSA, porque, durante sua gestão, Lula não foi convidado a participar das reuniões de 2004 e 2010 do G8, cúpula dos países mais ricos do mundo (Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Canadá e Rússia).

Em 2003, primeiro ano de seu primeiro mandato, Lula foi convidado pela França para a reunião da cúpula, assim como outros países em desenvolvimento. No ano seguinte, os EUA não chamaram o Brasil para o encontro. O ex-presidente criticou a atitude em uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo daquele ano.

"Este país já foi a oitava economia mundial. Quando éramos a oitava economia mundial, não tinha o grupo dos oito. Era só o G7. Quando nós caímos para décimo lugar, aí criaram o G8, porque já não era mais o Brasil”, disse Lula na época.

O Brasil também não foi convidado a participar da reunião do G8 no Canadá, em 2010, no último ano do governo Lula. Na época, o único país latino-americano no encontro foi a Colômbia.


Selo falso

Em 2014, quando a Dilma deixou o governo, o desemprego estava 4,7%.

A declaração foi considerada FALSA porque a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) não deixou o governo em 2014, mas em agosto de 2016. Ainda que, na data citada por Lula, a taxa de desemprego de fato fosse de 4,8%, o indicador alcançava 11,9% no mês em que a petista sofreu o impeachment.

Em 31 de dezembro de 2014, último dia do primeiro mandato de Dilma Rousseff, a taxa de desemprego do ano foi a menor já registrada: 4,8%. Porém, quando deixou o Planalto, em agosto de 2016, eram 11,9%, segundo a pesquisa trimestral da Pnad Contínua do IBGE.


Selo falso

Porque no nosso governo [a gasolina] não aumentava.

A declaração é FALSA porque foram sim aplicados aumentos nos preços da gasolina durante o governo Lula. Em busca por anúncios de reajustes no site da Petrobras entre janeiro de 2003 e dezembro de 2010, há registros de altas no valor de venda da gasolina comum nas refinarias em setembro de 2005 e em abril de 2008, ambos de 10%.

De acordo com a série histórica da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), no primeiro semestre de 2004, primeiro período disponível, o valor médio de venda da gasolina no Brasil era de R$ 2,02. No segundo semestre de 2010, últimos meses de governo Lula, o preço do combustível tinha subido para R$ 2,60.

É fato, entretanto, que o aumento no valor final de venda da gasolina comum entre 2004 e 2010 (28%) ficou abaixo do acumulado da inflação oficial no período: de 33,4%, de acordo com o IPCA, do IBGE.

A assessoria do petista afirmou que, nesta declaração, o ex-presidente se referia à política de preços da Petrobras, que não seguia o atual sistema de paridade internacional.


Selo falso

Eu tenho orgulho, porque veja: eu sou o único presidente da história desse país que não tem diploma universitário.

A declaração é FALSA, porque João Fernandes Campos Café Filho, 18° presidente da República, também não tinha diploma. Ele foi vice de Getúlio Vargas e governou o país após o suicídio do então presidente, entre agosto de 1954 e novembro de 1955.

Café Filho ingressou na Academia de Ciências Jurídicas e Comerciais em Recife, em 1917, mas não concluiu os estudos superiores. De acordo com o CPDOC ( Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil), da FGV (Fundação Getulio Vargas), ele retornou a Natal sem o diploma e passou em um concurso para advogado no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

Em resposta ao Aos Fatos, a assessoria de Lula afirmou apenas que Café Filho não foi eleito presidente da República, tendo assumido o cargo por ser vice-presidente.


Selo falso

Quando eu estava no governo, o Brasil era a sexta economia do mundo.

A declaração de Lula é FALSA, porque o Brasil se tornou a sexta maior economia do mundo somente em 2011, no primeiro ano do primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT), segundo levantamento do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Em março de 2012, além do FMI, rankings de consultorias como a do banco alemão WestLB, apontaram que o PIB brasileiro (US$ 2,48 trilhões) do ano anterior superou o do Reino Unido (US$ 2,26 trilhões), considerando o resultado em dólares pela cotação média de cada período.

Em 2011, o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro cresceu 2,7%. Em 2012, após um aumento de apenas 0,9% no PIB, o Brasil perdeu o posto para a Inglaterra, caindo para o sétimo lugar.


Selo impreciso

A mulher [no Brasil] só foi ter o seu primeiro voto em 1934 porque ganhou na Justiça.

A declaração de Lula é IMPRECISA porque foi em 1927 que uma mulher adquiriu, na Justiça, pela primeira vez, o direito de votar no Brasil. Após a promulgação naquele ano da lei estadual nº 660, que fez do Rio Grande do Norte o primeiro estado a não estabelecer distinção de gênero para o voto, Celina Guimarães pediu sua inclusão na lista de votantes do pleito do município de Mossoró (RN) que ocorreria em 1928.

O Código Eleitoral de 1932 promoveu o direito ao sufrágio universal, o que assegurou às mulheres brasileiras o direito de votar nas eleições gerais de 1933, que escolheram os membros da Assembleia Nacional Constituinte. A Constituição de 1934, ano citado pelo ex-presidente Lula, confirmou o sufrágio universal no artigo 23.


Selo verdadeiro

Quando eu cheguei na Presidência da República, a inflação estava 12%, e o desemprego estava 12%.

Em 2002, último ano do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) — ou seja, logo antes de Lula chegar ao Planalto — o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) fechou a 12,53%, próximo aos 12% citados pelo petista. Na mesma época, a taxa de desemprego era de 10,5%. Como o percentual citado pelo petista corresponde a menos de 10% do dado apurado pelo IBGE, a declaração foi considerada VERDADEIRA.

Outro lado. Aos Fatos questionou a assessoria de Lula nesta sexta-feira (3) sobre todas as checagens publicadas, mas obteve respostas apenas de parte delas. Os posicionamentos enviados pelo petista podem ser lidos nos textos das respectivas verificações.

Referências:

1. IBGE (Fontes 1, 2, 3, 4, 5 e 6)
2. Agência Brasil
3. Olhe para a Fome
4. ONU
5. Wikipedia (Fontes 1 e 2)
6. Folha de S.Paulo
7. G8
8. G1
9. Petrobras (Fontes 1, 2 e 3)
10. ANP
11. FGV (Fontes 1 e 2)
12. FMI
13. O Globo
14. Veja
15. TSE
16. TRE-RN (Fontes 1 e 2)
17. Câmara
18. Planalto
19. Secovi

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.