Chás de boldo do chile e de quina quina não previnem nem curam Covid-19

Por Priscila Pacheco

19 de junho de 2020, 17h12


Não é verdade que chás de boldo do chile e de quina quina podem ser usados para prevenir ou curar a Covid-19, conforme é dito em um vídeo que tem circulado nas redes sociais (veja aqui). Segundo o Ministério da Saúde, nenhum tipo de infusão é eficaz contra a infecção do novo coronavírus. A pasta e a OMS (Organização Mundial da Saúde) ressaltam que ainda não há remédio ou tratamento específico para a doença.

Publicado por perfis pessoais no Facebook, o vídeo com a falsa recomendação contava com ao menos 1.900 compartilhamentos nesta sexta-feira (19). Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Informe repórter cidadão Lima Neto. Tratamento com ervas naturais do coronavírus em plena Amazônia Legal. Deus é generoso conosco.

Um vídeo que tem sido compartilhado nas redes sociais diz que chás de boldo do chile (Peumus boldus) e quina quina (Coutarea hexandra) são eficientes para curar ou prevenir Covid-19, o que não é verdade. A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que ainda não existe nenhuma substância que comprovadamente previna ou cure a doença. O Aos Fatos também não encontrou informações sobre os chás na página de notas técnicas e informes de evidências científicas do Ministério da Saúde. Segundo a pasta, chás não devem substituir o tratamento adequado para a enfermidade.

O Aos Fatos também verificou se havia informações sobre o potencial do boldo e da quina quina para Covid-19 nas bases de pesquisas científicas da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), NCBI (National Center for Biotechnology Information) e OMS, mas não encontrou qualquer evidência. As buscas foram feitas nos repositórios utilizando os nomes populares e científicos das plantas.

Segundo o pesquisador do Instituto de Química da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Gildo Girotto, as pessoas podem ter associado a presença de quinina, que é um antimalárico, na quina quina e em pequena quantidade no boldo como algo benéfico. “Há dois erros: não se sabe ao certo se a quinina ou outras substâncias têm efeito contra a Covid-19. Segundo erro: mesmo que ela tivesse o efeito, a quantidade presente nos chás é uma quantidade muito pequena que dificilmente conseguiria ter ação terapêutica para combater o vírus”, explica o químico.

Em maio, outras peças de desinformação indicando o consumo de boldo do chile e quina para Covid-19 foram checadas como falsas por Aos Fatos.

Referências:

1. Aos Fatos (Fontes 1 e 2)

2. OMS (Fontes 1 e 2)

3. Ministério da Saúde (Fontes 1 e 2)

4. Fiocruz

5. NCBI


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.