Vídeo de briga no Senado em 2017 é compartilhado como se fosse de reunião com Lula

Por Priscila Pacheco

22 de março de 2022, 17h16

É falso que um vídeo compartilhado nas redes sociais (veja aqui) mostra uma discussão durante reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). As imagens foram gravadas em 2017 e retratam uma briga entre os senadores Ataídes Oliveira (PROS-TO) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) durante reunião na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado. Na ocasião, a comissão debatia a reforma trabalhista.

As postagens enganosas contam com ao menos 16.720 compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (22).


Selo falso

REUNIÃO DO LULA ACABA EM BAIXARIA ENTRE COMUNISTAS LADRÕES FSDP

Postagem diz que discussão no Senado foi em reunião com Lula

Não mostra uma reunião com Lula e sim uma discussão entre senadores durante votação da reforma trabalhista, em 2017, um vídeo que circula nas redes sociais. As cenas de bate-boca foram registradas na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado em 23 de maio daquele ano e publicadas no canal do site Poder360 no YouTube.

De acordo com o site Congresso em Foco, a confusão começou quando o senador Randolfe Rodrigues pediu que a votação do texto na comissão fosse suspensa. O então presidente da CAE, Tasso Jereissati (PSDB-CE), decidiu dar como lido o relatório da reforma sem a sua publicação, o que irritou a oposição. Randolfe e Ataídes Oliveira, que era filiado ao PSDB na época e apoiava a reforma, brigaram e foram contidos por outros senadores. O texto foi aprovado no mesmo ano.

Crítico ao PT, Oliveira defendeu o impeachment de Dilma Rousseff (PT) e a condenação de Lula, e não há indícios de que tenha se alinhado ao partido. Randolfe, por sua vez, anunciou recentemente que integraria o núcleo da campanha de Lula para as eleições.

Aos Fatos não encontrou registros de brigas em alguma reunião promovida por Lula. Em 2013, foi noticiado um conflito em uma reunião executiva do PT de Campinas (SP) que terminou em agressão física.

Essa peça de desinformação também foi checada por Estadão Verifica e Agência Lupa.

Referências:

1. Poder360
2. Congresso em Foco
3. Folha de S. Paulo
4. Senado (Fontes 1, 2 e 3)
5. Twitter Ataídes Oliveira
6. G1
7. UOL


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.