É falso que Brasil, Venezuela e Cuba são os únicos países que usam urna eletrônica

Por Luiz Fernando Menezes

8 de outubro de 2020, 17h17


Não é verdade que apenas Brasil, Venezuela e Cuba utilizam urnas eletrônicas no mundo. Segundo o Idea (Institute for Democracy and Electoral Assistance), 42 nações empregam a tecnologia em algum de seus pleitos. A peça de desinformação (veja aqui) erra ainda sobre o sistema eleitoral cubano, que usa hoje cédulas de papel.

A informação enganosa, disseminada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2018, reunia ao menos 20.000 compartilhamentos em posts no Facebook até a tarde desta quinta-feira (8). Essas publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Entre 193 países existentes, apenas 3 usam urna eletrônica: Venezuela, Cuba e Brasil.

Circulam nas redes sociais publicações que alegam que apenas três países no mundo usam urnas eletrônicas em suas eleições: Brasil, Venezuela e Cuba. Porém, na verdade, são pelo menos 42 nações que adotam hoje o sistema eletrônico de votação em alguns de seus pleitos. E a ilha caribenha não está entre elas.

Um levantamento do Idea (Institute for Democracy and Electoral Assistance) indica que 26 dos 178 países consultados utilizam o voto eletrônico em eleições nacionais e outros 16 fazem uso da tecnologia em eleições regionais. Além do Brasil e da Venezuela, países como Iraque e Nova Zelândia também empregam urnas eletrônicas nos principais pleitos, bem como alguns estados dos EUA.

Além disso, Cuba não utiliza urnas eletrônicas. Conforme pode ser verificado na Lei Eleitoral do país, a votação é feita com cédulas de papel.

Uma peça de desinformação semelhante foi checada pelo Aos Fatos nas eleições de 2018. Em mais de uma ocasião, o então candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro disse que o voto eletrônico não existiria em nenhum lugar do mundo. Assim como a peça que vem sendo compartilhada atualmente nas redes, a declaração foi considerada FALSA.

O conteúdo enganoso também já foi desmentido pela Agência Lupa, pelo Estadão Verifica, pela AFP Checamos e pelo Fato ou Fake.

Referências:

1. IDEA (Fontes 1 e 2)
2. Elecciones en Cuba
3. Aos Fatos

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.