Bolsonaro não implantou tecnologia para PRF vistoriar carros; vídeo é de 2013

Por Luiz Fernando Menezes

10 de dezembro de 2019, 18h31


Não é verdade que o governo de Jair Bolsonaro importou uma tecnologia israelense para auxiliar a PRF (Polícia Rodoviária Federal) a identificar drogas e armas em veículos, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). O scanner que aparece no vídeo que tem sido compartilhado é usado pelas autoridades brasileiras desde 2012 e tem tecnologia americana.

As imagens foram retiradas de uma edição do jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, de março de 2013 e têm sido difundidas como se fossem recentes por páginas e perfis pessoais no Facebook, onde acumulam mais de 20 mil compartilhamentos. Todas elas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Olha o "brinquedinho" novo que o governo Bolsonaro implantou na PRF, possivelmente tecnologia Israelense. Parabéns, Presidente!

Um vídeo que mostra policiais operando um scanner capaz de identificar drogas e armas escondidas em carros mesmo em movimento vem sendo compartilhado nas redes como se o equipamento fosse uma aquisição do governo Bolsonaro. No entanto, a tecnologia é usada pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) desde 2012, e as imagens são de uma reportagem do Bom Dia Brasil de março de 2013.

Na época, o jornal veiculou uma versão reduzida de reportagem do Fantástico sobre a adoção do equipamento pela PRF. Segundo o programa da TV Globo, o scanner que consegue identificar objetos suspeitos, como drogas, armas e produtos contrabandeados, em veículos parados ou em movimento. O equipamento foi importado dos Estados Unidos, não de Israel, como sugerem as peças de desinformação.

A Polícia Rodoviária Federal, em email enviado ao Aos Fatos, afirma que a tecnologia é utilizada desde 2012 e que não houve nenhuma aquisição de novos equipamentos desde essa data.

Segundo o Ministério da Justiça, além do combate ao contrabando e ao tráfico de drogas, o scanner também pode ser usado para evitar ações de quadrilhas que explodem caixas eletrônicos e assaltam agências bancárias.

O Comprova também verificou a peça de desinformação.

Referências:

1. Globoplay (Fontes 1 e 2)
2. Ministério da Justiça


Esta checagem foi atualizada no dia 13 de janeiro de 2020 para acrescentar a nota enviada pela PRF.