🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Bolsonaro não disse em pronunciamento que manifestações do dia 15 ‘continuam inabaláveis’

Por Luiz Fernando Menezes

13 de março de 2020, 12h53

Não é verdade que o presidente Jair Bolsonaro tenha dito em veja aqui). Na verdade, o presidente sugeriu justamente o contrário, que as manifestações fossem adiadas por causa do aumento de casos de coronavírus.

Publicado originalmente pelo site TecnoBlog News na madrugada desta sexta-feira (13), o texto engana ao trazer como título: ”Manifestações do dia 15 continuam vivas e inabaláveis, disse Bolsonaro”. Na sequência, são mostrados apenas trechos do pronunciamento do presidente e, em um deles, ele afirma que “as motivações da vontade popular continuam vivas e inabaláveis”. A publicação, no entanto, omite a parte em que Bolsonaro diz que “diante dos fatos recentes, [os atos do dia 15 devem] ser repensados”.

Difundida pelo Facebook, a peça de desinformação acumulava ao menos 13 mil compartilhamentos até a tarde desta sexta-feira (13). Todas elas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Manifestações do dia 15 continuam vivas e inabaláveis, disse Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro não disse na quinta-feira (12) que as manifestações pró-governo marcadas para o próximo dia 15 de março estão “vivas e inabaláveis” como afirma texto publicado pelo site TecnoBlog News que tem sido compartilhado nas redes. Em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, Bolsonaro sugeriu que os atos devem ser repensados devido ao aumento de casos de coronavírus no país.

Como pode ser verificado no vídeo de seu pronunciamento (abaixo, a partir do 1’06’’) ou na íntegra publicada pelo Planalto, Bolsonaro diz que “os movimentos espontâneos e legítimos, marcados para o dia 15 de março, atendem aos interesses da nação. Balizados pela lei e pela ordem, demonstram o amadurecimento da nossa democracia presidencialista e são expressões evidentes de nossa liberdade. Precisam, no entanto, diante dos fatos recentes, ser repensados”.

Ao fim de sua fala, o presidente diz uma frase parecida com a publicada pelo TecnoBlog News, mas que com sentido diferente: “Nossa saúde e de nossos familiares devem ser preservadas. O momento é de união, serenidade e bom senso. Não podemos esquecer, no entanto, que o Brasil mudou. O povo está atento e exige de nós respeito à Constituição e zelo pelo dinheiro público. Por isso, as motivações da vontade popular continuam vivas e inabaláveis”. Em nenhum momento, portanto, ele afirma que as manifestações marcadas para o dia 15 devem ocorrer.

Vale ressaltar que, durante live transmissão ao vivo em sua conta no Facebook pouco antes do pronunciamento, o presidente também pediu que os atos fossem adiados: “Eu sou a favor [das manifestações do dia 15]. Se bem que o movimento não é meu, o movimento é espontâneo e popular. Uma das ideias é adiar. Suspender. Adiar. Daqui a um, dois meses, se faz”.

Outro lado. Aos Fatos entrou em contato com o site TecnoBlog News para apontar a desinformação propagada pelo seu texto. Até a publicação desta checagem, no entanto, os responsáveis pelo site não responderam.

Referências:

1. Planalto
2. TV Brasil


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera a republicação desta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.