Bolsonaro pagou R$ 358 mil ao YouTube por anúncios com desinformação no 2º turno

Compartilhe

Um vídeo da campanha de Jair Bolsonaro (PL) que mente sobre a inocência de seu adversário, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi a publicidade mais frequente do candidato à reeleição no Google Ads no segundo turno, com 18 inserções. A peça é alvo de ação por direito de resposta no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por parte da campanha petista.

O Radar Aos Fatos analisou todos os anúncios pagos pela campanha de Bolsonaro no Google entre a segunda-feira seguinte ao primeiro turno (3) e esta quinta-feira (20).

  • Ao todo, Bolsonaro fez 230 inserções publicitárias na plataforma no período, com investimento estimado entre R$ 950 mil e R$ 1,28 milhão e alcance entre 76 e 90 milhões de visualizações;
  • Dessas inserções, 41% (95) continham ataques ou desinformação, com um custo de até R$ 358 mil e somando pelo menos 25 milhões de visualizações;
  • Outras cinco não estão mais disponíveis.

No vídeo sobre o petista, são usados trechos antigos e descontextualizados de falas de jornalistas e juristas sobre as investigações, omitindo que o petista teve as condenações anuladas e é considerado inocente.

Na quarta-feira (19), decisões de ministros do TSE haviam concedido inserções de direito de resposta a Lula em programas eleitorais de Bolsonaro nos quais ele é acusado de associação com crimes e corrupção. Após recurso da campanha de Bolsonaro, a ministra Maria Cláudia Bucchianeri suspendeu a decisão, e o assunto será decidido neste sábado (22) no plenário virtual da corte.

O anúncio começou a ser exibido no YouTube no dia 11 de outubro e permanece no ar, tendo custado até agora R$ 28 mil à campanha do presidente — os custos podem aumentar conforme a exibição continua. A propaganda já atingiu ao menos 2 milhões de visualizações.

Leia mais
Checamos O que é falso e o que é fato em declarações de Lula sobre absolvições na ONU e na Justiça

Além desta peça, a campanha do presidente pagou por outras dez inserções publicitárias com ataques ao petista. Um vídeo, presente em quatro inserções, dizia que Lula apoia o aborto — o que foi desmentido pelo próprio candidato em outro anúncio.

Depois dos ataques a Lula, a principal desinformação disseminada pelos anúncios do presidente diz respeito ao Auxílio Brasil. Em 14 anúncios, Bolsonaro omite que a lei criada por seu governo, não prevê o valor de R$ 600, mas de R$ 400. O adicional de R$ 200 às parcelas do Auxílio Brasil será pago até o final do ano de 2022 e não está previsto na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2023.

Os anúncios também desinformam sobre outras medidas do governo:

Compartilhe

Leia também

falsoVídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

Vídeo é editado para fazer crer que família Bolsonaro apoia pré-candidatura de Pablo Marçal

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral