Barroso não disse que Bolsonaro só será reeleito ‘por cima do seu cadáver’

Por Marco Faustino

6 de abril de 2022, 18h57

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso não disse em uma transmissão ao vivo com juízes franceses que o presidente Jair Bolsonaro (PL) só será reeleito “por cima do seu cadáver”, como afirmam postagens nas redes sociais (veja aqui). A assessoria da corte desmentiu a alegação e o Aos Fatos não encontrou registros de declarações semelhantes por parte do magistrado. Além disso, não há evidências de que Barroso participou de live com magistrados da França recentemente.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos 1.500 compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (6).


Selo falso

Blog apócrifo difunde alegações falsas atribuídas a Luís Roberto Barroso

Postagens nas redes sociais enganam ao alegar que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso disse que o presidente Jair Bolsonaro (PL) só “será reeleito se passarem por cima do meu cadáver” a juízes franceses em uma transmissão ao vivo.

Também é falso, como sustentam as postagens, que Barroso afirmou não reconhecer Bolsonaro como presidente legitimamente eleito e que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mereceria uma “segunda chance”.

Por meio de nota publicada em seu site oficial, o STF informou que o ministro nunca deu tais declarações e que não há registro de live recente com juízes do outro país. Aos Fatos também não localizou compromisso semelhante na agenda oficial dos ministros da corte.

As últimas participações de Barroso em eventos remotos datam de março: posse do ministro Ricardo Lewandowski como membro efetivo do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o 19º Prêmio Innovare e audiência com autoridades do Rio Grande do Sul.

Em pesquisas na imprensa e em mecanismos de busca por termos em português e francês, Aos Fatos não localizou indícios de que Barroso tenha se reunido com juízes da França ou que tenha dado declarações semelhantes às da peça de desinformação.

A peça de desinformação surgiu em 4 de abril de 2022 em um blog apócrifo no Wordpress. A postagem original foi apagada, mas reproduções de tela passaram a circular nas redes com o conteúdo enganoso.

Essa peça de desinformação também foi checada por Boatos.org, Lupa e UOL Confere.

Referências:

1. STF (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.