Arnaldo Jabor não escreveu texto que elogia Bolsonaro por ser ‘rústico e verdadeiro’

Por Priscila Pacheco

18 de fevereiro de 2022, 18h30

Não foi escrito por Arnaldo Jabor (1940-2022) um texto em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PL), como tem sido atribuído em postagens nas redes sociais (veja aqui). Além de Aos Fatos não ter localizado registros de que o jornalista e cineasta publicou artigos com esse teor, o conteúdo foi veiculado originalmente em 2020 por um perfil no Facebook.

Postagens com a falsa atribuição da autoria do texto reuniam ao menos centenas de compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (18) e também circulam no WhatsApp (fale com a Fátima).


Selo falso

Texto elogia Bolsonaro

Um texto que circula nas redes sociais com elogios a Bolsonaro por ser “rústico” e “verdadeiro” é atribuído enganosamente ao jornalista e cineasta Arnaldo Jabor, que morreu na terça-feira (15) em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral). Aos Fatos não encontrou o texto no site oficial do jornalista, nem em suas colunas nos jornais O Globo e Estado de S. Paulo, esta última encerrada em 2017.

A página inicial do site de Jabor destaca um vídeo de 2018 em que ele desmente um boato de que votaria em Bolsonaro naquela eleição presidencial: “Eu jamais faria isso [votar em Bolsonaro e no vice Hamilton Mourão], eu jamais votaria nesses dois nazistas que podem transformar o Brasil numa desgraça definitiva. Eles são apoiadores de torturadores da ditadura militar, além de serem ignorantes e despreparados. Não votem nesses dois caras. Bolsonaro é uma ameaça para o país”.

No espaço que tinha desde 1995 no Jornal da Globo, da TV Globo, Jabor fazia comentários críticos ao presidente. Em 7 de outubro, por exemplo, questionou as ações de Bolsonaro durante a pandemia.

Tampouco há registro de que tenha feito elogios a Bolsonaro na rádio CBN, onde manteve um espaço de opinião até 2018. Já seus perfis nas redes sociais não são atualizados há pelo menos três anos (veja aqui, aqui, aqui e aqui).

Origem. Ao pesquisar a origem da desinformação, Aos Fatos descobriu uma publicação de 19 de março de 2020 no Facebook de Gilberto Ribeiro, que afirma ser o autor do texto. Em um dos comentários, ele afirma saber que o texto circula com a autoria atribuída a Jabor, e que o importante era “multiplicar a mensagem”.

Contatado por Aos Fatos, Ribeiro não respondeu até a publicação desta checagem. A equipe de Arnaldo Jabor também foi contatada e não retornou. Quando o texto começou a circular, em 2020, a secretaria de Jabor negou a autoria para a Agência Lupa.

Referências:

1. G1 (Fontes 1, 2 e 3)
2. Arnaldo Jabor (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)
3. O Globo
4. Estado de S. Paulo
5. CBN


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.