Vídeo de Bolsonaro com diplomatas teve 900 mil visualizações até YouTube decidir deletá-lo

Por Ethel Rudnitzki

10 de agosto de 2022, 16h11

O YouTube excluiu nesta quarta-feira (10) três registros do encontro de Jair Bolsonaro (PL) com diplomatas estrangeiros, no qual o presidente repetiu alegações falsas sobre o sistema eleitoral brasileiro. Ao todo, as versões retiradas do site somavam 900 mil visualizações.

Transmitido em 18 de julho, o vídeo acumulava quase 300 mil visualizações no canal do presidente quando foi removido. Vídeos do encontro também foram excluídos dos canais da TV Brasil, no qual acumulou 465 mil visualizações, e do UOL, com mais de 125 mil visualizações, mas segue disponível em outros canais.

O conteúdo estava entre os links enviados pelo TSE às plataformas via Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições, conforme apurou o Aos Fatos, e foi removido por violar a política de integridade eleitoral da plataforma.

Em nota, o YouTube disse que “proíbe conteúdo com informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados”.

As diretrizes foram atualizadas nesta quarta (10) para incluir, além de falsas acusações sobre o pleito de 2018, postagens que questionem o resultado das eleições de 2014.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.