Ciro posta cortes do JN em que diz informações falsas

Por Ethel Rudnitzki

24 de agosto de 2022, 17h24

O candidato à presidência Ciro Gomes (PDT) publicou em suas redes nove diferentes cortes da entrevista que concedeu ao Jornal Nacional, na noite de terça-feira (23). Cinco desses trechos contêm informações falsas, checadas em tempo real pelo Aos Fatos. Os cortes com desinformação atingiram 2,6 milhões de visualizações nas redes do pedetista até a tarde desta quarta (24).

Antes de o programa começar, o candidato fez um vídeo nos estúdios da Globo para chamar seus seguidores para assistir ao JN. No conteúdo, Ciro antecipou um dos erros ditos na entrevista: a atribuição de uma frase de um romance da escritora Rita Mae Brown ao cientista Albert Einstein. "A ciência da insanidade é você repetir as mesmas coisas e esperar resultado diferente", parafraseou o pedetista. A gravação foi postada no Telegram, Twitter, Facebook e Instagram e atingiu 445 mil visualizações.

Mas o trecho que recebeu maior destaque nas redes do candidato foi sua fala final na entrevista, em que, ao pedir voto a eleitores que pretendem votar em Jair Bolsonaro (PL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pessoas sem candidato definido, errou sobre a porcentagem destes últimos. "E você, indeciso, sabe quantos são vocês? Mais da metade da população", disse o candidato. Porém, nos levantamentos mais recentes, essa porcentagem varia de 2% (Datafolha) a 7% (Ipec), na pesquisa estimulada, e 16% (Ipec) a 22% (Datafolha) na espontânea.

O vídeo atingiu mais de 1 milhão de visualizações só no TikTok e também foi postado no Twitter, no Facebook e no Instagram do candidato, nos quais foi visto outras 325 mil vezes.

Durante a entrevista, os administradores dos perfis de Ciro destacaram também um corte em que ele desinforma sobre o efetivo policial no país — postado no Twitter, Facebook e Instagram com cerca de 400 mil visualizações — e um trecho em que ele cita dado desatualizado e maior que o atual sobre obras paradas no país, visto mais de 300 mil vezes nas três plataformas.

Procurada, a assessoria de Ciro Gomes não respondeu até a publicação desta reportagem.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.