Bolsonaro e apoiadores postam sobre PT e PCC após Moraes proibir associação sem provas

Por Ethel Rudnitzki

19 de julho de 2022, 18h01

Postagens que associam o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao PCC voltaram a circular a tiveram centenas de milhares de interações nesta segunda (18), após o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinar a remoção de posts que faziam falsa associação entre o partido e a facção criminosa.

As postagens excluídas tiravam de contexto a delação premiada que o empresário Marcos Valério, condenado no Mensalão, celebrou com a Polícia Federal e que teve trechos publicados pela Veja no início de julho.

Valério disse a investigadores que Sílvio Pereira, então secretário-geral do PT, relatou a ele que petistas em São Paulo tinham ligações com a facção. O delator também afirmou, sem apresentar provas, que Celso Daniel, prefeito de Santo André (SP) assassinado em 2002, teria um dossiê que revelaria financiamento ilegal de campanha no partido, inclusive de candidatos sabidamente ligados ao PCC.

No dia da determinação, foram feitas apenas seis postagens com termos relacionados a PT e PCC no Facebook, somando cerca de 800 interações, segundo a ferramenta CrowdTangle. No dia seguinte, esse número passou para 224 posts, com 184 mil curtidas e compartilhamentos.

As buscas por PT e PCC aumentaram 10 vezes entre os dois dias, segundo dados do Google Trends. O fenômeno se repetiu no Twitter, em que postagens únicas (sem considerar retweets) aumentaram de 1.327 em 17 de julho para 13.295 em 18 de julho. “Lembrando: não pode falar que o PT tem ligações com o PCC”, ironizou o influenciador bolsonarista Leandro Ruschel, em tweet que atingiu cerca de 14 mil curtidas e retweets.

“BOM DIA para você que sabe que o ex-presidiário, o PT, o PCC e a morte do Celso Daniel estão ligados”, publicou o cantor Netinho, repetindo a acusação falsa em tuíte que chegou a quase 2.000 interações.

O próprio presidente Jair Bolsonaro (PL) chegou a retomar o tema em um tweet publicado na manhã desta terça (19) e que chegou a 60 mil interações. A postagem mostra trecho de uma gravação interceptada de integrante do PCC na qual ele diz que a organização teria uma “diálogo cabuloso” com o PT.

Tuíte do presidente Jair Bolsonaro sugere associação entre PT e PCC

O presidente usa termos cifrados para se referir ao partido e à organização. “É o grupo praticante de atividades ilícitas coordenadas denominado pela décima sexta e terceira letra do alfabeto com saudades do grupo do animal invertebrado cefalópode pertencente ao filo dos moluscos”, escreveu.

O teor da postagem do presidente é diferente das que foram excluídas por determinação de Moraes, mas reforça a associação sem provas entre o PT e PCC. “O sensacionalismo e a insensata disseminação de conteúdo inverídico com tamanha magnitude pode vir a comprometer a lisura do processo eleitoral, ferindo valores, princípios e garantias constitucionalmente asseguradas, notadamente a liberdade do voto e o exercício da cidadania”, afirmou o ministro ao determinar a exclusão das postagens.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.