Bolsonaristas criam grupos de Telegram com 88 mil pessoas para fazer ‘contagem pública’

Por Bianca Bortolon, Ethel Rudnitzki e Milena Mangabeira

30 de setembro de 2022, 14h40

A partir de uma corrente de Telegram que circula há cerca de duas semanas, bolsonaristas organizaram 27 grupos — um para cada unidade federativa — que reúnem 88 mil pessoas com o objetivo de realizar uma suposta “contagem pública” de votos.

O texto pede que apoiadores do candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), enviem fotos dos comprovantes de votação. Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), no entanto, o documento não serve para essa finalidade.

  • “Envie uma foto do seu COMPROVANTE de voto logo após você sair da sua sessão, no dia da eleição”, pede a mensagem. “Basta enviar o comprovante uma vez só, NADA MAIS, para facilitar a contagem em caso de necessidade para nosso Presidente Bolsonaro!”
  • Outra versão da corrente ainda ataca eleitores do PT e questiona a integridade do pleito de 2018. “Voto secreto é coisa de petista que quer fraudar as eleições, como já vem fraudando há 16 anos”, diz.

Em nota, o TSE explica que a ideia não faz sentido técnico. “O comprovante não pode ser utilizado para essa finalidade porque o único voto válido é aquele digitado e confirmado pelo eleitor na urna eletrônica. Sendo assim, não é o comprovante que garante que o eleitor já votou, e sim o software da própria urna eletrônica.”

O órgão ressalta ainda que eleitores podem cruzar dados da totalização dos votos por meio do aplicativo Boletim na Mão, “criado justamente para incentivar a fiscalização do processo eleitoral pelo eleitorado”. O app dá acesso rápido aos resultados de boletins de urna por meio da leitura de um QR Code e permite confrontar com os resultados divulgados na página da Justiça Eleitoral.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.