Apresentador do Flow reclama de cortes desinformativos editados ‘na maldade’

Por Bianca Bortolon e Milena Mangabeira

27 de outubro de 2022, 19h33

Durante entrevista com o candidato ao governo paulista Fernando Haddad (PT), nesta quarta (26), o apresentador do Flow Podcast reclamou de ter sido vítima de desinformação. Igor 3K disse que trechos de falas dele foram tiradas de contexto e transformadas “numa coisa diferente”.

“Não foi isso o que eu disse”, afirmou o apresentador, ao exibir uma peça desinformativa que circula no Instagram. “Eles cortam na maldade”, continuou.

Ao ser questionado pela BBC Brasil sobre a audiência do episódio com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ultrapassou 1 milhão de visualizações simultâneas, Igor declarou que os números foram “inflados” e não refletiam a realidade. O apresentador repetiu a afirmação ao podcast Salve Salve Família e disse ter recebido fotos com até 13 dispositivos sintonizados no Flow.

Os trechos editados, no entanto, omitem a fala seguinte de Igor, na qual ele afirma que os números inflados não equivalem necessariamente a visualizações fantasmas ou ao uso de robôs, mas a um comportamento comum de usuários em plataformas de vídeos. O apresentador diz ainda que o mesmo padrão pode ser observado nos dados das lives feitas com Jair Bolsonaro (PL) e com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

  • O Radar Aos Fatos encontrou ao menos 44 publicações com o vídeo editado no Facebook;
  • Dois posts são das deputadas federais reeleitas Bia Kicis (PL-DF) e Carla Zambelli (PL-SP), do partido de Bolsonaro;
  • As publicações delas ultrapassam 26 mil compartilhamentos e 424 mil visualizações;
  • Ambas dizem que os números da participação de Lula foram “manipulados”, termo jamais citado por Igor 3K.

Print de postagem da deputada Bia Kicis com corte desinformativo

Cortes virais. A edição de trechos é um método comum na divulgação de podcasts, uma vez que aumenta o alcance e ajuda a espalhar o conteúdo para outras plataformas — o próprio Flow possui um canal no YouTube exclusivo para o formato, e esses cortes migram com frequência para outras plataformas.

No entanto, edições maliciosas têm sido usadas como fonte de conteúdo desinformativo, muito por conta de facilidades oferecidas pelas próprias plataformas. Seja por meio de recortes, manipulação de áudio ou inserções de texto, redes de vídeos curtos permitem edições que desinformam a partir de conteúdo verdadeiro.

  • Desde junho, o Aos Fatos checou 94 vídeos editados que circularam nas redes sociais, uma média de quase 5 por semana.

O caso relatado pelo apresentador do Flow não é o primeiro envolvendo cortes desinformativos do podcast dele.

  • Um trecho da entrevista com Lula em que ele afirma que “é preciso mentir para ser político” circulou fora de contexto. Na fala completa, Lula atribuía a frase a Bolsonaro;
  • No período de 12 horas seguintes à entrevista de Bolsonaro, o Aos Fatos verificou que cortes com falas desinformativas ou ataques a adversários, à imprensa, ao Judiciário e ao sistema eleitoral somaram 1,5 milhão de visualizações.

O apresentador Igor 3K também queixou-se de recortes utilizados pela campanha do PT para divulgar a participação de Lula no Flow. Segundo ele, os trechos dão a impressão de que ele estaria “puxando o saco” do ex-presidente e que toda a situação pareceu combinada para gerar material favorecendo o petista.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.